logo-pillar-condominios

Como evitar grandes incômodos em condomínios gerados por pequenas ações

Como-evitar-grandes-incômodos-em-condomínios-gerados-por-pequenas-ações-1

Sempre abordamos aqui no nosso blog questões sobre convivência em condomínio, barulho, garagem, entre outros. Porém, existem outros cuidados que condôminos precisam ter, e que nem sempre são falados, e incomodam muito um vizinho. Veja:

Barulho na janela

Sabe quando você chega de uma festa, desce do carro ainda eufórico e começa a comentar o que aconteceu no evento do caminho do seu carro, na garagem, até a porta da sua casa? Nesses minutos, você pode ter passado debaixo de várias janelas e acordado algumas pessoas. Por isso, tenha cuidado com a conversa e barulho nas áreas comuns do condomínio.

Fumar nas áreas comuns

Muitos fumantes não gostam de fumar dentro de casa para não incomodar quem mora no mesmo lugar ou simplesmente para não deixar a casa cheirando cigarro. Qual a solução então? Fumar “lá fora”. Mas esse “fora” pode ser local de circulação de pessoas que têm o direito de se incomodar com a situação. E a fumaça ainda pode entrar pelas janelas próximas. Tenha cuidado!

“Esquecer” das crianças pelo condomínio

Alguns condomínios possuem playground ou áreas próprias para crianças brincarem. Em outros casos, a criançada brinca pelas áreas comuns, seja na garagem ou hall de entrada. Mas em qualquer situação, muitos pais “esquecem” os filhos pelo condomínio, que fazem barulho além da conta, sujam o ambiente e não são devidamente monitorados.

Parar o carro sem nunca pensar no outro

Garagem é um assunto polêmico em quase todos os condomínios (temos um artigo todo dedicado a esse assunto, clique aqui para conferi-lo). E há um ponto em específico que parece simples, mas incomoda muito: não parar o carro de forma centralizado na vaga. Muita gente tem preguiça de manobrar e simplesmente coloca o veículo dentro da marcação sem considerar que esse descuido pode atrapalhar muito o vizinho que estaciona ao lado.

Atenção com as motos

Condomínios não costumam ter estacionamentos exclusivos para motos e, quando um morador tem carro e moto, é comum que uma única vaga seja usada para estacionar os dois veículos. Se a vaga tem espaço, ótimo. Mas quando ela é mais apertada e a moto atrapalha o vizinho que para ao lado ou a área de manobra da garagem, é preciso avaliar. O condomínio pode discutir se irá permitir motos e carros em uma única vaga.

As vagas do condomínio não são para visitantes

Dificilmente, condomínios permitem carros de visitantes no estacionamento. Isso acontece, raramente, quando o prédio tem muitas vagas ociosas ou o dono de uma vaga privada cede o espaço a um visitante. Mesmo assim, cada condomínio possui regras específicas, pois é preciso avaliar se a segurança de todos não fica comprometida.

Controle de acesso

Existem maneiras variadas de se controlar o acesso de veículos a condomínios. A mais adequada vai depender do tamanho, da presença de porteiro e da preferência de moradores. Em alguns casos, os moradores possuem o controle remoto para a abertura do portão; em outros, o acesso é por meio de credenciais físicas ou eletrônicas e há, ainda, os casos em que o porteiro é responsável pela abertura e fechamento dos portões. Em qualquer situação, a segurança deve ser a prioridade. Nos casos em que a identificação do morador para a portaria é sempre necessária, o desconforto de se identificar sempre deve ser encarado como uma medida necessária e segura.

Resumindo, respeite o vizinho e as regras do condomínio

Respeito: anote essa palavra. Praticando-a junto com a gentileza, os conflitos e reclamações sobre o uso da garagem em condomínios não serão mais constantes.

O bom relacionamento, seja entre vizinhos ou em qualquer circunstância, não depende apenas de normas. A prática da boa vizinhança, que se baseia especialmente no respeito ao direito do outro, é a melhor política para a vida em condomínio. O bom senso e uma boa dose de tolerância são fundamentais.

Você também pode gostar de ler:

O que você tem feito para ser um bom vizinho?

O que precisamos saber sobre condomínio onde vamos comprar o imóvel

Entenda a diferença (e importância) entre Convenção de Condomínio e Regulamento Interno

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sumário

Leia outros artigos:

Siga-nos nas redes sociais: